Google

NetShoes

sábado, 28 de junho de 2008

Emprego

Pessoal, estou terminando a segunda parte do artigo sobre instalação do Linux, porém através de algumas reportagens lidas descobri um site onde pode-se hospedar currículos e vagas para profissionais do software livre.

Se você está interressado em emprego ou de recrutar algum profissional cadastre-se no site. O endereço é http://curriculo.4linux.com.br.

É um site criado pela 4Linux, sendo que o espaço é gratuito.

Bom esse era o recado que eu queria transmitir para os leitores.

Há a segunda parte da instalação está quase pronta.

Um grande abraço e até a proxima.

quarta-feira, 25 de junho de 2008

Instalação do Linux - Parte I

Bem, amigos nessa nova postagem,quero falar sobre a instalação do Linux.

Antes disso quero falar um pouco sobre as diversas distribuições que existe no mercado, que é como uma religião para alguns usuários, porém essa não o objetivo dessa postagem masno futuro postarei sobre as diversas distribuiçõs que existem no mercado hoje.

Vou apenas citar três distribuições mais comuns que é o Debian, o Mandriva e o Kurumim, essas distruibições se parecem muito em suas instalações e possuem um passo a passo. Todas as instalações do Linux necessita um conhecimento no minímo básico para que seja efetuada de forma correta.

Bom, o foco é a instalação e logo abaixo estarei mostrando como instalar o GNU Linux distribuição Slackware,veja só estou falando de uma quarta distribuição temos produtos para todos os usuários.

Antes de começarmos e colocar-mos a mão na massa vamos conhecer um pouco da historia do Slackware.

O Slackware, criado por Patrick Volkerding no fim de 1992, e inicialmente lançado para o mundo em 17 de Julho de 1993, foi a primeira distribuição Linux a alcançar um uso bastante difundido.

Esta distribuição privada ganhou rapidamente a popularidade, assim que Volkerding decidiu nomeá-lo para Slackware e distribui-lo publicamente. Ao longo, Patrick adicionou coisas novas ao Slackware;
  • Um programa de instalação amigável para o usuário e baseado em um sistema de menu, também com o conceito de gerênciamento de pacote, na qual permite que os usuários facilmente adicionem, removam ou atualizem um programa ou o seu sistema inteiro.
Há muitas razões porque o Slackware é a distribuição Linux mais antiga em atividade. Não tenta imitar o Windows, tenta ser o mais similar ao Unix possível. Ele não esconde seus processos atrás de uma interface gráfica de apontar e clicar, ao invés disso ele põe os usuários no controle e mostra para eles exatamente o que está acontecendo. Seu desenvolvimento não é acelerado artificialmente para cumprir prazos - cada versão só é lançada quando realmente está pronta.

O Slackware é para as pessoas que gostam de aprender e fazer com o sistema exatamente o que quer, simples e estável, além de uma rápida estação de trabalho. Você poderá encontrar desktops com Slackware funcionando quase todos com um gerenciador de janelas ou com ambiente de trabalho.

Olha, não é o foco defender ou não certa distribuição aqui, porém optei por mostra a instalação do Slackware para vocês sentirei realmente como o Linux funciona, como diz um grande amigo na unha.

Nota: Para se instalar o Slacware é necessário um bom conhecimento do hardware que se tem na máquina.

Vamos lá:

Para efeitos de organização, os softwares do Slackware são dividos em séries. Essa séries são usadas para categorizar os pacotes inclusos no Slackware.

Abaixo segue as séris dos pacotes:


Série Conteúdo

  • A -> Base do sistema. Contêm um grande parte do softwares utilizados para se ter um sistema básico.
  • AP ->Diversos aplicativos que não necessitam de um Servidor X.
  • D ->Ferramentas de desenvolvimento de programas. Compiladores, debugadores, interpretadores e a grande parte das man pages.
  • E ->GNU Emacs.
  • F ->FAQs, HOWTOs e outros tipos de documentação.
  • GNOME ->O ambiente gráfico GNOME.
  • K ->O código fonte do kernel do Linux.
  • KDE -> O ambiente gráfico K. Um ambiente gráfico que possui muitas características visuais em comum com o MacOS e o Windows. A biblioteca Qt, requerida para este ambiente, é encontrada nesta série.
  • KDEI -> Pacotes de internacionalização para o ambiente KDE.
  • L ->Bibliotecas. Bibliotecas dinâmicas lincadas necessárias para muitos outros programas.
  • N ->Programas de Rede. Daemons, programas de e-mail, telnet, leitor de news e alguns outros.
  • T -> Sistema de formatação de documentos teTeX.
  • TCL -> Ferramenta de Linguagem de comando. Tk, TclX, e TkDesk.
  • X -> Sistema base para o X Window.
  • XAP -> Aplicações gráficas que não fazem parte de um ambiente de desktop principal (como por exemplo: Ghostscript e Netscape).
  • Y -> Jogos de console BSD
Existe vários formas de Boot,porém vou fazer comentarios apenas com o CD-ROM, mais comum atualmente, mas se alguém necessitar de fazer com alguma outra mídia e em mandar um email e/ou postar comentarios no blog.

As midias de instalação podem ser conseguidas no siteonto para gravação no site ftp://ftp.slackware-brasil.com.br e gravá-las, em seguida configurar o seu micro para dar boot via CD.

Feito isso vamos particionar o seu Hard Disk. Recomendo fazer duas particões, uma para o sistema de arquivos root (/) e outra para a área de troca (swap).

Ao terminar de dar o boot com o CD aparecerá um prompt de login. Entre no sistema como usuário root (sem senha). No shell, execute fdisk. No linux em vez de letras de drive, eles são representados por arquivos. O primeiro disco rigido da IDE é /dev/hda, o primario slave /dev/hdb e assim suscessivamente. Discos SCSI seguem o mesmo esquema mas no formato /dev/sdX. Vou considera um disco IDE.

# fdisk /dev/hda

A primeira coisa a se fazer é examinar o seu esquema de particões. Digite p** no prompt do fdisk.

Command (m for help): p

AVISO: É imprensidivel fazer backup dos arquivos caso os tenha no Hard Disk em que vai ser feita a remoção e criação das particóes.

Para remover as particões existentes digite d:

Command (m for help): d Partition number (1-4): 1

Repita este processo para cada uma das partições que você possua no HD. Após removê-las, estaremos prontos para criar as do Linux. Decidimos criar uma partição para o nosso sistema de arquivos root e uma para o swap.

Eu utilizo dois esquemas básicos de particionamento. O primeiro é para um desktop. Faço 4 partições, /, /home, /usr/local, e swap. Assim posso re-instalar ou atualizar tudo que está instalado em / sem remover os meus arquivos de dados no /home ou os meus aplicativos personalizados compilados no /usr/local. Em servidores, geralmente substituo a partição /usr/local por uma partição /var. Muitos servidores diferentes armazenam informações nesta partição e mantê-la separada do / traz benefícios quanto ao desempenho. Por enquanto, vamos ficar com apenas estas duas partições: / e swap.

Agora podemos criar as partições com o comando n:

Command (m for help): n

Command action

e extended

p primary partition (1-4)

p

Partition number (1-4):1

First cylinder (0-1060, default 0):0

Last cylinder or +size or +sizeM or +sizeK (0-1060, default 1060):+64M

Assegure-se de ter criado partições primárias. A primeira partição será a nossa partição swap. Diremos ao fdisk para tornar a partição número 1 uma partição primária. Ela começará no cilindro 0 e, para o cilindro final, digitamos +64M. Isto criará uma partição de 64 megabytes para swap. (Na verdade, o tamanho da partição de swap depende da quantidade de RAM do seu sistema. Por convenção se usa uma partição de swap com o dobro do tamanho da RAM do seu sistema.) Então, definimos a partição primária número 2 começando no primeiro cilindro disponível e indo até o final do drive.

Command (m for help): n

Command action

e extended

p primary partition (1-4)

p

Partition number (1-4):2

First cylinder (124-1060, default 124):124

Last cylinder or +size or +sizeM or +sizeK (124-1060, default 1060):1060

Está quase pronto. Precisamos alterar o tipo da primeira partição para tipo 82 (Linux swap). Digite t para alterar o tipo, selecione a primeira partição, e digite 82. Antes de gravar as suas alterações em disco. Use o p no fdisk para exibir a tabela de partições. Se tudo parecer estar bem, digite w para salvar as suas alterações e sair do fdisk.

Bem estamos prontos para iniciar a instalação.

O nosso próxima passo e executar o programa setup que ficará para o nova postagem.

Devido a grandiosidade desse artigo, resolvi dividi-los em partes para um melhor entendimento.

Abraços.

segunda-feira, 23 de junho de 2008

Usar ou Não o LINUX

Nessa minha primeira postagem, quero promover uma discussão sobre a questão de usar ou não o Linux, tive o prazer de conhecer esse sistema operacional a dez anos, que naquele momento já despontava como um grande e robusto sistema a fim de suprir as necessidades dos profissionais de TI (Tecnologia da Informação).

Hoje não existe nenhuma dúvida nos departamentos de TI das pequenas, médias e grandes empresas, pois com o Linux existe uma redução significativa dos gastos, aumento de peformace e uma maior segurança das informações.

Existe vários rumore e "boatos" que dizem que usar Windows é mais barato, pois existem muitos profissionais qualificados, ou seja, que existem bem menos profissionais qualificados em Linux, por isso os honórarios desses profissionais tendem a ser maiores. Outro grande boato e que o número de vulnerabilidades do Windows é maior pelo simples fato do sistema ser mais utilizado pelos hackeres, portanto conhece mais seus pontos fracos.

Diante desse cenário em que vivemos na área de TI hoje, ter conhecimentos avançados em Linux torna-se menos um diferencial, mas sim uma necessidade para que o profissional de informática consiga uma posição de destaque nesse mercado.

O meu objetivo nesse blog e proporcionar ao profissional que deseja utilizar o Linux em suas corporações conhecimento sobre instalação, manutenção e administração de redes Linux.

Um grande abraço a até a proxima.

sábado, 21 de junho de 2008

Linux

Em Construção!!!

Em breve cheio de novidades!!!

Escola Técnica de Viçosa - R. Dr. Milton Bandeira 160 3º andar